Publicidade

Publicidade
10/02/2009 - 16:56

O dia que a música morreu

Compartilhe: Twitter

Em fevereiro de 1959 o mundo do rock perdeu dois de seus nomes mais importantes até então. Buddy Holly e Ritchie Valens morreram em acidente aéreo na Dakota do Norte, EUA.

Ambos eram os nomes do momento e faziam um sucesso estrondoso, mesmo com suas curtas carreiras. Ritchie tinha apenas 17 anos mas já imortalizara as músicas “Come On, Lets Go”, “Donna” e a releitura de La Bamba, que deu nome ao filme feito em sua homenagem em 1987, com Lou Diamond Phillips interpretando o cantor.

Buddy também explodia nas rádios americanas com sucessos instantâneos como “Peggy Sue” e sua música era considerada muito sofisticada para aquele tempo. Com seu estilo mais controlado e tranquilo, era considerado um contraponto ao elétrico Elvis Presley e seu talento inovador inspirou jovens no mundo todo, inclusive dois que viriam a fazer parte dos maiores grupos do rock em todos os tempos: Paul McCartney e Mick Jagger, que sempre o apontam como uma de suas principais influências.

Buddy era mais velho do que Ritchie, mas ambos eram grandes amigos e o acidente inclusive ocorreu porque Holly deu carona a Valens no avião que alugara para poder chegar a tempo em Minnesota, local do próximo show. Insatisfeito com o ônibus oferecido para a viagem, Buddy quis alugar o avião. Ritchie ganhou o assento após uma disputa na moeda com Tommy Allsup, baixista de Buddy. Pouco antes de embarcar, Buddy brincou com Waylon Jennings, outro membro de sua banda, dizendo “espero que seus pés congelem no ônibus” no que Jennings respondeu “espero que seu avião caia”. Essas palavras o amaldiçoaram por toda a sua vida.

Nevava bastante e o piloto não possuía as credenciais necessárias para pilotar naquelas condições. Logo após a decolagem, o avião caiu em uma fazendo matando os dois músicos, mais J.P. Richardson, outro nome que fazia grande sucesso no momento, e o piloto. O acidente ficou conhecido como “O Dia Que A Música Morreu” na letra da música American Pie de Don McLean.

Mas aqui no Musig vocês podem continuar ouvindo o som desses jovens gênios que o destino levou embora. Curta sem parar as músicas de Ritchie Valens e Buddy Holly.

Clique aqui para ouvir as músicas de Ritchie Valens

Clique aqui para ouvir o som de Buddy Holly

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “O dia que a música morreu”

  1. Mestre disse:

    é foda né?!

  2. Eliseu Antonio Cavalini disse:

    Gostei da música destes dois artistas; pena que eu era muito criança e ainda não tinha condições de perceber isso. Pelo jeito foi um auê mundial embora na época o forte da mídia fosse o rádio. Infelizmente a vida pegou de surpresa os fãs destes cantores não permitindo que o mundo continuasse ouvindo suas belas canções. Com certeza já se eternizaram, pois um artista nunca morre.

  3. Getúlio Sloan disse:

    Quando ouço músicas de gênios como Buddy Rolly e Ritchie Valens, dentre outros como Billy Holliday, Jerry Lee Lewis, e muitos outros monstros desse estilo maravilhoso que influenciou e delirou toda uma geração, fico maravilhado só de pensar em ouvir e viajar, retorno 25 anos de minha vida, volto a minha adolescência.

    Se me deixarem dentro de um local onde posso simplesmente ouvir, me deliciar com esse tipo de discografia, além de maluco, ficarei ausente desse mundo, durante alguns tempos.

    Precisamos ter mais acesso a esse tipo de riqueza musical, temos que ser agraciados com a volta ao mercado de tudo isso.

    Por favor, resgatemos de volta essa maravilha da música mundial. No devido aguardo, agradeço à oportunidade de me expressar sobre o ícone da cultura musical que sempre vai se manter atualizada em nossos corações.

    Yuuuuuuuuhoooooooooo!

  4. jarbas monteiro disse:

    sem duvidas dois astros do rock que seram lembrados por toda a vida.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo